Ações preventivas de enfrentamento ao Aedes são iniciadas na região de Barra do Corda

0
108
 

Foi iniciada nessa segunda-feira (16), o Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), que monitora os bairros com maior risco de incidência do mosquito no município. O trabalho, realizado pelo O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), e a Prefeitura de Barra do Corda, tem como meta desenvolver conjuntamente entre agentes de saúde e de endemias, a vistoria de 19.287 imóveis somente nesta semana, e, assim, impedir situações favoráveis ao criadouro do mosquito, transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus.

O secretário adjunto de Atenção Primária e Vigilância em Saúde, Marcelo Rosa, acredita no caráter preventivo desta ação. “Por determinação do secretário da Saúde Carlos Lula, estamos executando ações que antecipam o período de chuvas e a época de alto índice de infecção de doenças. O objetivo é prevenir situação semelhante a que ocorreu nos dois últimos anos, onde houve um alto índice de casos, inclusive de óbitos. Barra do Corda é um dos municípios prioritários no Maranhão. Existe um plano de contingência sendo executado de maneira permanente nesta cidade”, explicou.

O plano de enfrentamento envolve 57 agentes de endemias do estado e município atuando em campo. A primeira fase inclui visitas domiciliares, levantamento do LIRAa e busca ativa de pacientes com suspeitas de dengue, chikungunya e zika. A ação conta, também, com coleta de material biológico para realização de sorologia para dengue e chikungunya em pacientes sintomáticos. A nebulização espacial com veículos UBV (carro fumacê), que elimina o mosquito adulto, ocorre com base nos dados a serem apresentados pelo LIRAa.

No último levantamento, realizado em outubro e novembro de 2016, Barra do Corda registrou índice de 4,7%, indicativo que aponta alto risco de surto do Aedes na cidade. Para secretária municipal de Saúde de Barra do Corda, Heloísa Mota, o acondicionamento inadequado dos reservatórios domiciliares de água favorece a proliferação do Aedes. “Entendemos que a intermitência no abastecimento de água em nossa cidade favorece a necessidade de depósitos para acúmulo do resíduo, mas o modo errado de acondicionamento da água aumenta ainda mais este índice. A Prefeitura de Barra do Corda e o Governo do Estado, por meio da Caema, estão trabalhando para garantir que o problema seja solucionado”, enfatizou a secretária.

No campo, os agentes de endemias confirmaram o cenário de armazenamento inadequado de reservatórios de água. Pneus, cisterna e caixa d’água sem tampa favoreceram a proliferarão de do Aedes na casa de Geremias Silva, 21 anos, estudante de Direito. Durante a visita, os agentes eliminaram larvas do mosquito, além da aplicação de larvicida na cisterna e orientação sobre o armazenamento correto de material reciclável e depósitos de água. “Eu e os meus pais nunca ficamos doentes por algo provocado pelo mosquito, talvez nos faltou um pouco de sensibilidade ao risco que corríamos, mas agora eu sei como devo agir”, agradeceu.

No ano passado, segundo boletim epidemiológico, a Regional de Saúde de Barra do Corda apresentou 6.801 notificações para casos de dengue, 160 para chikungunya e 160 para zika vírus. Em 2017, a URS notificou 21 casos de dengue, o registro está concentrado na cidade de Barra do Corda.

Capacitação

Além das ações de campo, até quarta-feira (18), mais de 200 profissionais da área de vigilância epidemiológica, saúde e agentes comunitários dos municípios de Arame, Fernando Falcão, Grajaú, Itaipava do Grajaú, Jenipapo dos Vieira e Barra do Corda, sede da Unidade Regional de Saúde (URS), participam de capacitações e treinamentos para detecção e tratamento de pacientes acometidos por doenças provocadas pelos Aedes.

Ações

Durante o ano de 2016, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), e a Prefeitura de Barra do Corda articularam atividades para combate ao Aedes aegypti. Desde a força-tarefa em março, com presença do Hospital de Campanha e Exército, até ações contínuas como visitas de imóveis, levantamento do LIRAa e nebulização espacial com veículo UBV.

Fonte: Governo do Estado/Agência de Notícias/Saúde